5 Julho, 2022

Phenomania

O que é real?

Nenhum sinal de alienígenas avançados em 10 milhões de sistemas estelares não significa que “eles” não existem

4 min read

“Embora este tenha sido um estudo realmente grande, a quantidade de espaço que analisamos era o equivalente a tentar encontrar algo nos oceanos da Terra, mas apenas procurar num volume de água equivalente a uma grande piscina de quintal.”

Um estudo observou 10 milhões de sistemas estelares no Universo e não encontrou vestígios de alienígenas avançados. Mas isso não significa que os alienígenas não são reais.


Um estudo recente deu um golpe nas nossas esperanças de descobrir civilizações alienígenas no Universo.

Um telescópio australiano pesquisou o cosmos em busca de vestígios de civilizações alienígenas avançadas – depois de procurar assinaturas tecnológicas – em 10 milhões de sistemas estelares, e acabou  de mãos vazias, sem encontrar nenhuma evidência de que alguém esteja lá fora.

O radiotelescópio no interior da Austrália Ocidental concluiu recentemente o que os astrónomos dizem ser a busca mais profunda e ampla em baixas frequências por tecnologia alienígena.

Os astrónomos apontaram o telescópio Murchison Widefield Array (MWA) para um pedaço do céu noturno que abriga até 10 milhões de sistemas estelares. Este telescópio em particular tem um enorme campo de visão que permite aos cientistas olhar para uma área maior do céu, permitindo-lhes observar milhões de estrelas ao mesmo tempo.

Em particular, os pesquisadores estavam a analisar a emissão de rádio em frequências como as frequências de rádio FM. Estas, dizem os astrónomos, se encontradas, podem ser indicadores de que um determinado sistema estelar é o lar de uma civilização alienígena que possui tecnologia “avançada”.

Para desapontamento de muitas pessoas, terminaram de mãos vazias, levando muitos a acreditar que, afinal, podemos estar sozinhos no Universo.

“Observamos o céu ao redor da constelação de Vela durante 17 horas, com uma capacidade mais de 100 vezes mais amplo e profunda do que nunca, explicou o astrônomo do CSIRO, Dr. Chenoa Tremblay. “Com este conjunto de dados, não encontramos assinaturas tecnológicas – nenhum sinal de vida inteligente.”

Embora eles não tenham encontrado ETs a ouvir rock, isso não significa que os 10 milhões de estrelas sejam estéreis, desabitados e que a vida não se tenha desenvolvido lá.

Para começar, os astrónomos poderiam não se ter apercebido de uma assinatura tecnológica específica.

Além disso, como não podemos imaginar como é a tecnologia alienígena ou de como ela pode ser usada, realmente não podemos concluir que só porque não identificamos algo “familiar” à nossa tecnologia, não há nada tecnologicamente avançado lá fora.

Em outras palavras, para nos aprofundarmos realmente na ideia de tecnologia alienígena, precisamos aprender a procurar possíveis traços de assinaturas tecnológicas de maneiras diferentes, em momentos diferentes e com tecnologia diferente.

Essa ideia é reconhecida pelos próprios cientistas que participaram do estudo; “Embora este tenha sido um estudo maciço, a quantidade de espaço que analisamos era o equivalente a tentar encontrar algo nos oceanos da Terra, mas apenas procurar um volume de água equivalente a uma grande piscina de quintal”.

Não faz muito tempo que, os astrónomos da Breakthrough Listen Initiative, publicaram o chamado Catálogo Exotica – listando cada tipo de objeto astronómico onde civilizações alienígenas tecnologicamente avançadas poderão estar escondidas. Então, se quisermos procurar civilizações alienígenas, o catálogo oferece uma infinidade de lugares onde podemos pesquisar.

Tenha em mente que o Universo, como o conhecemos, é um lugar bastante grande. De acordo com a Sky and Telescope, pode haver até 2 triliões de galáxias no Universo. Além disso, seria uma boa ideia atualizar nossas estimativas de estatísticas no Universo observável, que agora chegam a cerca de 700 sextiliões. Então podemos tentar imaginar o número de potenciais exoplanetas – exoplanetas portadores de vida – lá fora?

Como podemos ver, o Universo é um lugar enorme, e a nossa tecnologia é muito limitada para explorar o seu tamanho correto. Se não conseguimos nem definir o quão grande é o Universo e quantas galáxias e estrelas existem lá fora, como podemos dizer que provavelmente estamos sozinhos e que os alienígenas não são mais do que ficção científica?

Continuemos a procurar.

Autor: Ivan Petrivecic

Fonte

(Lida 3 vezes, 2 visitas hoje)
0
0