29 Junho, 2022

Phenomania

O que é real?

NASA diz que investigar cúpulas estranhas na Lua é prioritário

2 min read

Imagem: NASA-LROC

Montes Misteriosos
A lista de investigações científicas da NASA na Lua continua crescendo à frente de seus ambiciosos planos de devolver os astronautas à superfície lunar.

A agência espacial está anunciando uma nova prioridade máxima: a exploração de características geológicas intrigantes chamadas Gruithuisen Domes, dois misteriosos montes de rochas graníticas que os cientistas suspeitam serem formadas por magma rico em sílica.

O que os torna tão incomuns é o fato de que esse tipo de magma geralmente só se forma na Terra na presença de água e atividade vulcânica causada pela mudança de placas tectônicas – nenhuma das quais está presente na Lua.

Cúpulas de sondagem
A NASA já está planejando enviar dois conjuntos separados de instrumentos científicos para a superfície da Lua, um dos quais diz que dará uma olhada de perto nas misteriosas cúpulas.

A NASA espera alavancar suas conexões privadas da indústria espacial para lançar o Lunar Vulkan Imaging and Spectroscopy Explorer (Lunar-VISE), um conjunto de cinco instrumentos, dois dos quais serão montados em um módulo de pouso estacionário e os três restantes em um rover móvel.

O Explorer terá dez dias terrestres para escalar o cume de uma das duas cúpulas de Gruithuisen para explorar sua composição química, esperando descobrir suas origens misteriosas.

A agência espera que as descobertas do Lunar-VISE também possam ajudar futuras missões na superfície lunar.

A outra missão, chamada de Lunar Explorer Instrument for Space Biology Applications (LEIA) suíte científica, “vai estudar os efeitos da baixa gravidade e do ambiente de radiação da Lua na levedura, um organismo modelo usado para entender a resposta e o reparo de danos no DNA”, como Joel Kearns, vice-administrador associado para exploração na Diretoria de Missões Científicas da NASA, explicou em um comunicado.

A NASA espera lançar essas duas cargas úteis para a Lua até o ano de 2026 – isto é, se tudo correr conforme o planejado.

Autor: VICTOR TANGERMANN

Fonte

 

(Lida 2 vezes, 1 visitas hoje)
0
0