Um planeta sem atmosfera reforça preocupações com corpos que orbitam estrelas menores que o Sol

A maioria dos planetas rochosos da “nossa” galáxia orbitam estrelas menores que o Sol. Por causa desses números, eles pareceriam candidatos promissores na busca de vida em outros lugares. Mas os astrónomos dizem que suspeitam que esses corpos – especialmente aqueles em órbita próxima – são vulneráveis a perder a atmosfera necessária para sustentar a vida. A descoberta de um desses planetas além do sistema solar, sem atmosfera, defrauda as perspectivas que se tinha em planetas seus pares.

Crédito: NASA/JPL-Caltech/L. Kreidberg/Harvard-Smithsonian CfA 

Essas descobertas foram detalhadas num estudo liderado por Laura Kreidberg, bolsista do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian (CfA). Nele, os pesquisadores mostram que o planeta LHS 3844b, um exoplaneta rochoso orbitando um pequeno sol a 48,6 anos-luz de distância, não possui camadas detectáveis de gases que o cubram para protegê-lo da perigosa radiação do seu sol e prender o calor. A atmosfera de um planeta torna-o viável para hospedar a vida e fornece sinais reveladores de que realmente existe. Também é essencial para entender a origem, a natureza e as condições atuais de um planeta.



 

“Aprendemos na última década que planetas de tamanho semelhante à Terra são abundantes em torno de outras estrelas – o que é extremamente excitante para as perspectivas de potencialmente detetar vida numa delas”, disse Kreidberg. “No entanto, apenas porque sabemos que esses planetas estão lá fora, não sabemos nada sobre se eles normalmente têm atmosferas ou não”.

Os resultados, descritos  num artigo de 19 de agosto da revista Nature, mostram que é possível que os planetas que orbitam estrelas anãs M, que são muito menores e mais frias que o sol, fiquem sem atmosferas – esse foi, de fato, a primeira descoberta de tal situação. As estrelas são conhecidas por emitir luz ultravioleta intensa, o que pode resultar em sistemas solares menos hospitaleiros.

O planeta LHS 3844b, um exoplaneta rochoso que orbita um pequeno sol a 48,6 anos-luz de distância, não possui atmosfera detectável. Crédito: NASA/JPL-Caltech/R. Hurt (IPAC) / Dark World Animation

“Uma coisa sobre as pequenas estrelas anãs M é que elas são muito brilhantes em ultravioleta nos primeiros biliões de anos de suas vidas, então há muitas perguntas pendentes sobre se os planetas do tamanho da Terra ao redor dessas estrelas conseguem manter as suas atmosferas, “Disse Kreidberg. “Existem várias teorias que prevêem a perda atmosférica, mas isso nunca foi observado até agora”.



 

Os pesquisadores usaram uma nova técnica para determinar que o planeta LHS 3844b não possui atmosfera. Eles mediram um lado do seu clima e o compararam com o outro para procurar uma diferença máxima de temperatura. O planeta, que tem uma órbita de 11 horas, não roda sobre si mesmo, o que significa que um lado fica sempre de frente para a estrela e o outro está sempre no escuro. Um planeta com uma atmosfera moveria parte do calor que absorve do lado quente para o frio. Usando dados do Telescópio Espacial Spitzer da NASA, os pesquisadores determinaram que não era o caso do LHS 3844b. Eles descobriram que o lado voltado para a estrela era aquecido a mais de 1.400 graus Fahrenheit, enquanto o lado escuro era consistente com o zero absoluto.

“Estamos bastante convencidos de que este planeta não passa de uma rocha vazia”, disse Kreidberg.

A medição é chamada de “curva de fase térmica” do planeta. É a primeira vez que essa técnica foi usada para um planeta rochoso.

O LHS 3844b é 30% maior que a Terra. A água líquida não pode existir em sua superfície e a equipa de Kreidberg acredita que a superfície do planeta é feita de basalto, uma rocha muito escura que pode se formar a partir de lava arrefecida, semelhante à “maria” na nossa lua.

Mais Informação: Laura Kreidberg et al. Absence of a thick atmosphere on the terrestrial exoplanet LHS 3844b, Nature (2019). DOI: 10.1038/s41586-019-1497-4

Journal information: Nature 

Fornecido por Harvard University 

Autor: Juan Siliezar, 

Fonte

Crédito Imagem Destaque

Please Enter Your Facebook App ID. Required for FB Comments. Click here for FB Comments Settings page

(Lida 17 vezes, 1 visitas hoje)
0
0
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE