Tecnologia Espacial na Vida quotidiana

Facebookgoogle_plusyoutubeFacebookgoogle_plusyoutube

Contrariamente à crença popular, a NASA não inventou o Tang. Mas as contribuições da agência espacial na vida quotidiana das pessoas na Terra são bastantes e muito benéficas. E essa tecnologia encontra-se por todo o lado

O astronauta Leroy Chiao realiza um exame de ultra-som do olho no cosmonauta Salizhan Sharipov a bordo da Estação Espacial Internacional. A NASA ajudou a transformar a máquina de ultra-som da estação em um imager para todos os fins de diagnóstico, com uma linha directa aos médicos na Terra. A tecnologia poderá em breve ajudar a diagnosticar pessoas doentes em comunidades isoladas em todo o mundo. Crédito Imagem:  NASA
O astronauta Leroy Chiao realiza um exame de ultra-som do olho no cosmonauta Salizhan Sharipov a bordo da Estação Espacial Internacional. A NASA ajudou a transformar a máquina de ultra-som da estação em um imager para todos os fins de diagnóstico, com uma linha directa aos médicos na Terra. A tecnologia poderá em breve ajudar a diagnosticar pessoas doentes em comunidades isoladas em todo o mundo.
Crédito Imagem: NASA

O objectivo principal da NASA é explorar e entender melhor o cosmos. Mas grande parte da tecnologia desenvolvida pela NASA para alcançar as estrelas foi trazida para a Terra para beneficio das massas, levando a inovações como fórmulas alimentares infantis mais nutritivas e óculos escuros que bloqueiam a luz ultravioleta prejudicial.

“Com certeza que nós teremos melhores aviões, ou poderemos melhorar as previsões meteorológicas a partir de coisas do espaço”, disse Daniel Lockney, executivo de programas em parcerias de transferência e spinoff de tecnologia na sede da NASA em Washington, DC “Mas também conseguimos ter as crianças mais bem alimentadas. As pessoas normalmente não nos associam a esse tipo de coisas”.




Alguns dos destaques

Algumas das tecnologias mais estreitamente associadas com a NASA foram utilizados – e em alguns casos popularizados – pela agência espacial em vez de inventadas pelos seus cientistas.

Há a bebida com sabor de laranja Tang, por exemplo, que foi desenvolvida pela General Foods em 1957. Ou o Velcro, uma invenção suíça dos anos 1940. Ou o teflon, um polímero sintético que tem encontrado ampla utilização como um lubrificante industrial e um revestimento antiaderente para panelas e frigideiras.

“Temos Teflon o tempo todo,” Lockney disse SPACE.com. “Mas isso era DuPont.”

Mas a lista de invenções da NASA que têm beneficiado o público é longa e bastante estratificada. Há a “espuma de memória“, por exemplo, que hoje existe no interior dos capacetes de jogadores de futebol e é usado para o fabrico de próteses. Os cientistas da NASA inventaram a substância em 1966 para fazer assentos de avião mais seguros e mais confortáveis.

A pesquisa da NASA ao investigar o valor nutricional das algas levou à descoberta de um nutriente que anteriormente só tinha encontrado no leite materno humano. O composto, que se pensa ser importante para o desenvolvimento do cérebro e dos olhos, é utilizado, desde essa altura, em cerca de 95 por cento das fórmulas alimentares para crianças vendidas nos Estados Unidos, refere Lockney.

Há muitos mais. A investigação da NASA levou ao desenvolvimento de óculos de sol que bloqueiam a prejudicial luz azul e radiação ultravioleta, por exemplo. Um terço de toda a tecnologia das câmaras de telemóveis foi desenvolvida originalmente para naves espaciais da NASA.

E na década de 1960, cientistas da NASA que queriam melhorar imagens da lua inventaram o processamento de imagem digital. A tecnologia mais tarde teve muitas outras aplicações – particularmente no campo da medicina, onde ajudou a permitir técnicas imagem corpo, como CATScans e ressonância magnética (MRI).

Um benefício secundário

Desde 1976, a NASA tem vindo a publicar uma revista chamada “Spin-off” que descreve algumas das tecnologias que foram descobrindo no seu caminho para utilização na vida das pessoas comuns. A “Spin-off” detalhou 1.723 invenções, até à data, Lockney disse – e essa lista está muito longe de ser exaustiva.

“Nós temos um número de páginas muito limitado”, disse Lockney. “Portanto, há coisas que não se colocaram no livro.”

Só no ano passado, Lockney acrescentou: A NASA registrou mais de 1.400 novas invenções dentro da agência. Enquanto a viagem desde a invenção até ao produto útil é longa e difícil – e muitas tecnologias não conseguem fazer todo o caminho – esse número dá uma ideia da criatividade que flui de dentro da NASA.

Claro, que a criatividade está focada principalmente na tentativa de entender o que faz com que o universo “trabalhe”, e em descobrir como explorar o nosso pequeno canto do grande bosque cósmico de forma segura e eficiente.

Enquanto a agência está feliz que muita de sua tecnologia finalmente encontre alguma aplicação aqui na Terra – a transferência de tecnologias para o bem do público é parte dos objectivos da NASA, Lockney disse – e queremos sempre fazer melhor.

“O verdadeira ênfase está na inovação e na tecnologia de exploração”, disse Lockney. “Isto são as entradas no nosso Jantar. Não é o prato principal.”

Podem acompanhar Mike Wall Escritor sénior SPACE.com no Twitter: @michaeldwall. Sigam SPACE.com para o mais recente em ciência espacial e notícias exploração no Twitter @Spacedotcom e no Facebook.

By:Mike Wall
In: Space.Com




Please Enter Your Facebook App ID. Required for FB Comments. Click here for FB Comments Settings page

Hits: 285
(Lida 57 vezes, 1 visitas hoje)
Facebookgoogle_plusmailFacebookgoogle_plusmail
0
0

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE