Desinformação: As “más” Ideias que moldam as nossas crenças

Publicamos um artigo de opinião que nos parece interessante escrito por Micah Hanks, esperamos que gostem.

Geralmente, a discussão sobre OVNI hoje em dia gira em torno de uma ou duas, posições relativamente polarizadas dominantes sobre o assunto. Uma delas é a defesa ou “crença” num fenómeno real, tangível, e a outra é a atitude baseada no cepticismo de que toda a crença em OVNI é baseada numa percepção errada, ou algum outro fator psicológico subjacente, variando desde delírios a fantasias, até à desonestidade.
Enquanto o debate sobre a existência de OVNI se mantém acesso, existe um fator subjacente que é muito menos amplamente discutido, e que tem pouco valor no fato de se um caso “a favor” ou “contra” um caso OVNI se possa basear. Isso acontece porque lida com o fato de que ambas as posições têm sido ativamente promovidas por agências oficiais ao longo dos anos, sempre que as circunstâncias que surgiram tornassem um ou outro argumento particularmente vantajoso em nome do sigilo governamental.

(Imagem 1)

Devido a isso, ao longo do tempo eu comecei a gravitar mais para o que eu percebo como sendo a probabilidade de que, embora certamente não todos os avistamentos e relatos de OVNI possam ser facilmente explicados, existe uma maioria distinta de casos mais bem documentados sobre OVNI ao longo dos anos contém algum elemento de desorientação, normalmente apresentado a um ou mais indivíduos que estão de alguma forma envolvidos na investigação de OVNI. Este tipo de tática é usado normalmente com o propósito de “guiar” as suas conclusões sobre o assunto, talvez num esforço para os distrair de chegar a conclusões mais lógicas (como iremos analisar já a seguir com a história de Paul Bennewitz), embora também existam casos em que os objetivos mais amplos parecem destinados a apenas medir as reações dos indivíduos visados.



 

A história de Paul Bennewitz é, sem dúvida, entre os casos mais amplamente reconhecidos, onde uma pessoa interessada em OVNI foi deliberadamente fornecida com más informações sobre o assunto por parte de uma agência governamental. Aqui, a razão para isso tinha sido destinado a desviar a sua atenção do que eram, na época, testes secretos de micropulsos codificados da NSA que estavam a ser realizados na Base Aérea de Kirkland (e, como já sugeri em várias ocasiões antes, o livro “Project Beta” do meu amigo Greg Bishop é a melhor fonte de informações sobre o caso Bennewitz, eu também sugiro a pesquisa de Bishop num artigo aqui, no MU, que sugere que o Astrónomo e defensor OVNI, J. Allen Hynek, pode ter tido um papel no desenvolvimento desta operação). Bennewitz reecebeu equipamento que o ajudou a decifrar o que ele achava que fossem mensagens de “Extraterrestres” e, além disso, foi encorajado a continuar a pesquisa OVNI por algumas autoridades da Força Aérea, que incluiu o agente especial AFOSI Richard Doty.
Influenciado pelo trabalho de Bishop, o livro “Mirage Men” de Mark Pilkington, investigador com sede em Londres e músico (sobre a qual um documentário de mesmo nome foi baseado) investiga inúmeros outros casos famosos de OVNI das últimas décadas, onde operações semelhantes podem ter sido usadas . Estas vão desde a possível manipulação de alguns dos principais intervenientes no famoso incidente OVNI Ilha Maury, (que incluiu o piloto Kenneth Arnold), e o estranho papel de um homem, Fred Crisman, cujo papel no caso parece sugerir fortemente o envolvimento do governo ; como observado por Pilkington, e citado anteriormente pelos pesquisadores Peter Levenda e Nick Redfern, Crisman iria passar a ser associado a inúmeras circunstâncias o que torna a sua aparição ainda mais questionável.

Fred-Crisman
FOTO: FRED CRISMAN

Entre estes estava nada mais nada menos do que o assassinato do presidente dos EUA, John F. Kennedy, onde Crisman mais tarde foi intimado a comparecer no tribunal de Warren a respeito do caso contra Clay Shaw, o único homem julgado – e absolvido no espaço de uma hora após comparecer perante um júri – na investigação do assassinato de JFK.
Há também o sequestro bizarro e escapadas sexuais de agricultor brasileiro Antonio Villa-Boas na década de 1950 (uma das primeiras “abduções” tão carente de sofisticação dos seus intervenientes que dificilmente pode ser contestado que a “nave” que o sequestrou tinha sido um helicóptero … embora o seu encontro sexual forçado com uma bela loira “alien” a bordo não seja a pior coisa a que ele possa ter sido sujeito). Tais avistamentos encenados de OVNIs e falsos encontros “alienígenas” foram realizados, desta forma, com a aparente intenção de inspirar a crença em extraterrestres entre os membros mais imaginativos do público em geral … mas para quê?




Enquanto isso, as divulgações oficiais feitas por grupos governamentais e organizações científicas, tais como o estudo “Rand Corporation” de 1968, assim como a Universidade do Colorado “UFO Project” encabeçado por Edward Condon, onde apresentou opiniões “objetivas” na matéria, o que sublinhou a necessidade de “a necessidade urgente de dados objetivos “, emparelhado muito paradoxalmente, com a noção de que nenhum benefício científico adicional poderia derivar do estudo dos OVNIs. Claro, não podemos provar com precisão quem, ou que agências provavelmente estarão por trás de incidentes como o “rapto” Villa-Boas, ou inúmeras outras histórias envolvendo OVNIs; revisão cuidadosa das evidências, no entanto, sugere que houve quase nada “alien” sobre tais casos, com os dados favorecendo manipulação psicológica e desorientação em seu lugar.
Ainda mais recentemente, o grau para o qual os dados detalhados apareceu em conjunto com fraudes OVNI foi impressionante; considerar o famoso caso dos drones CARET (mais sobre este assunto pode ser lido aqui). Com o aparecimento abundante de imagens digitais que tinha sido “quase” convincente, emparelhado com documentação sombria, de aparência oficial, complementada por comentários adicionais de um indivíduo que se chama “Issac”, todo o assunto trouxe um ar de realismo ao mesmo que ele era quase equiparado com os famosos documentos MJ-12  … outro exemplo clássico de má informação que chegou às mãos de pessoas que de outra forma são bons pesquisadores, com o resultado final de dividir opiniões, e alimentar a polarização das atitudes das pessoas.
Hoje, essa polarização continua, é claro. Mas enquanto nós paramos para considerar a forma como as nossas crenças são tão frequentemente afetadas pelo tipo de informação que aparece diante de nós, devemos nos lembrar que há questões mais profundas que temos de perguntar de vez em quando … questões com implicações para além das simples posições de “acredito” ou “não acredito”. Entre os reinos da dúvida e crença, pode-se descobrir que atitudes dogmáticas sobre OVNIs, e talvez inúmeros outros assuntos, têm lentamente sido formadas – ou talvez tenham mesmo sido moldadas – ao longo do tempo, com a ajuda daqueles que têm empurrado qualquer ideologia com o propósito de ganhos em outras áreas.

By: Micah Hanks,

Mysterious Universe

Crédito Imagem Destaque – Theodore Van Pelt Getty Images

Crédito Imagem 1

Please Enter Your Facebook App ID. Required for FB Comments. Click here for FB Comments Settings page

(Lida 5 vezes, 1 visitas hoje)
0
0
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE