A mais recente anomalia de radar misteriosa aparece sobre o Novo México

Nos últimos meses, uma série de misteriosas anomalias encontradas em sistemas de radar civis tem confundido os observadores e pode sugerir que a Força Aérea está a testar alguma coisa que não querem que o público veja. As anomalias começaram em dezembro de 2018, quando uma formação de nuvens estranhamente densa apareceu no radar meteorológico em Indiana, Illinois e Kentucky. Alguns dias depois, anomalias de radar semelhantes foram observadas no Maine e na Flórida, e no mês passado o mesmo fenómeno apareceu na Austrália.

Enquanto a maioria dos observadores está confiante de que essas anomalias são um novo tipo de engodo, uma contra-medida anti-radar largada por aviões militares para enganar o radar, a frequência e a distribuição dessas anomalias em todo o mundo é um tanto intrigante. O que é que está a ser escondido à vista de todos?

Imagem1

A mais recente anomalia de radar apareceu no radar em 5 de março de 2019, por volta das 12h20 , hora local, com o céu parcialmente nublado mas sem precipitação em nenhum ponto do radar meteorológico. A anomalia apareceu como uma pluma grande e quase sempre estacionária nos céus, a oeste da Base da Força Aérea de Cannon, no Novo México, a cerca de 160 quilómetros a norte de Roswell, curiosamente. Como Tyler Rogoway, da The War Zone, aponta, Cannon Air Force Base é o lar do Comando de Operações Especiais da Força Aérea (AFSOC) que opera uma série de veículos aéreos não tripulados como o MQ-1 Predator, MQ-9 Reaper, RQ -11 Raven, Scan Eagle e Wasp III. O AFSOC realiza operações de infiltração e exfiltração para as Forças Especiais dos EUA, bem como missões de vigilância e reconhecimento e até mesmo guerra psicológica.

Imagem de Radar (imagem2)

Embora os testes de novos aviões e tecnologias aeroespaciais não sejam nada novo para o deserto, esta pluma e outras semelhantes nos últimos meses mostram um comportamento que normalmente não é visto em sistemas de engodo conhecidos. Estas plumas têm persistido por muito mais tempo do que as conhecidas contra-medidas de engodo e, de alguma forma, permanecem no seu lugar, ao contrário do engodo tradicional, que tendem a ser transportadas pelo vento mais facilmente.

Dois Lancers B-1B utilizam engodo e flares durante um exercício militar.(imagem3)

Estas anomalias de radar poderiam ser apenas a Força Aérea a testar novas contra-medidas, embora me pergunte por que é que esses testes seriam realizados em áreas civis, como nos casos da Austrália e de Indiana. A Força Aérea está a esconder algo mais estranho que um novo tipo de engodo dentro dessas plumas? Se eu tivesse que adivinhar, eu diria que provavelmente estes são os testes dos ,à muito falados enxames de drones que as Forças Aéreas em todo o mundo vêm testando – talvez até mesmo enxames controlados telepaticamente que a DARPA desenvolveu recentemente com sucesso. No entanto isto é tudo uma conjectura minha. Até agora, a Base da Força Aérea de Cannon ainda não respondeu aos pedidos de comentários sobre o incidente.

Fonte

Crédito Imagem1 Crédito Imagem2  Crédito Imagem3  Crédito Imagem Destaque

Please Enter Your Facebook App ID. Required for FB Comments. Click here for FB Comments Settings page

(Lida 22 vezes, 1 visitas hoje)
0
0
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE